Sensibilidade e Percepção por Meio dos Textos Literários

Um dos importantes desafios do professor é desenvolver no aluno o gosto pela leitura. Desde cedo, os nossos discentes são estimulados a ler, a interpretar e a produzir textos claros, coerentes, autorais.

 

Pensando nisso, preparei uma aula muito especial com muitos poemas e debates para os alunos do sétimo ano da tarde. Ficaram empolgados com as rimas, com a métrica (muitas vezes perfeitas), com as conotações e os diversos recursos que fazem do texto uma obra de arte. Recitamos, interpretamos, analisamos… Foi uma experiência edificante.

 

Para terminar, cada aluno foi desafiado a produzir um poema, usando dos diversos recursos aprendidos na aula. O resultado foi maravilhoso. Emocionei-me ao ler cada produção. Aprendi com meus alunos que a arte só precisa ser estimulada, ela existe dentro de cada um de nós.

 

Um dos poemas feitos por eles se chama “A Vida”, de autoria do aluno Giovane Lima Morozetti, do 7ºano A (tarde).

 

A Vida

 

Tudo começa saindo da escuridão

E vejo uma luz, pessoas chorando, me segurando

Percebo que minha solidão acabou.

 

Ao sair do lugar, fui para casa,

Parentes me visitaram

Brincaram comigo.

 

O tempo passou,

Aprendi a gatinhar, a andar e a falar

Cresci e virei peste:

Bagunçava, quebrava os móveis,

Mas aprendi o certo.

 

Fui à escola:

Brincadeiras e novos amigos,

O chato era a lição, chato demais…

 

Fui crescendo, virei um adolescente

Às vezes não fazia lição, outras fazia.

 

Um dia, encontrei o amor da minha vida,

Namoramos, depois casamos,

Surgiu uma nova vida na terra, nosso bebê

 

Envelheci, sou um idoso

Eu e meu filho nos divertimos,

Mas o tempo passou e nos separou

Meu filho se casou,

Já tem um filho.

 

Meu dia chegou, meu legado deixei com minha família,

Com meu filho.

Agora, começo do zero, como um bebê.