Carreira – Jornalismo

O que faz o profissional

O objeto de trabalho do jornalista é a notícia. Ele apura informações, entrevista pessoas e, a partir dos dados levantados, elabora matérias com a linguagem adequada para os diferentes meios de comunicação, como rádio, televisão, revistas, jornais e sites, entre outros. Para desempenhar bem suas atividades, o jornalista precisa ter habilidade para se comunicar, senso crítico, capacidade de análise de realidade, domínio do português e de técnicas de redação, ser curioso e procurar estar sempre bem informado. Além disso, é importante que ele domine os softwares de edição de texto e imagens, já que a comunicação é umas das áreas que mais sofreram o impacto dos avanços tecnológicos, e fale outros idiomas, em especial.

O curso

Dia-a-dia

A partir de 17 de junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o diploma de jornalismo não é mais obrigatório para exercer a profissão. Isso, porém, não significa automaticamente o fechamento dos cursos. Se você gosta de escrever e é curioso, pode se dar bem no curso de jornalismo. Durante toda a graduação, você terá de pesquisar e redigir muito, primeiro trabalhos para disciplinas teóricas, depois matérias e reportagens para diferentes meios de comunicação. Além das aulas tradicionais, você passará boa parte do seu tempo realizando muitas atividades práticas em laboratórios de informática e fotografia e em estúdios de rádio e televisão. Como a maioria das atividades na faculdade, assim como o trabalho do jornalista formado, é executada em equipe, é importante desenvolver habilidade de trabalhar em grupo. Aproveite o fato de este curso ser de meio período para fazer cursos de línguas estrangeiras, que são muito importantes para sua vida profissional, e estágios. Normalmente as faculdades exigem do estudante um trabalho de conclusão de curso.

Disciplinas

Nos primeiros semestres da faculdade, você estudará matérias mais gerais da comunicação, como teoria da comunicação, comunicação oral e escrita, língua portuguesa e história da arte, além de disciplinas de ciências humanas, como sociologia, filosofia e política. Elas vão ajudar o aluno a formar uma visão crítica da realidade e dar uma base teórica importante para a produção de textos jornalísticos. A partir do segundo ano, começam as disciplinas específicas do curso, de caráter profissionalizante, como técnicas de reportagem, radiojornalismo, fotojornalismo, telejornalismo, edição e planejamento gráfico, entre outras. Nessas aulas, você vai entrar em contato com as diversas técnicas utilizadas nos meios de comunicação existentes e suas diferentes linguagens.

Ingressando no mercado

O estágio é uma boa forma de o estudante entrar em contato com a realidade do mercado de comunicação. Procure trabalhar em diferentes veículos de comunicação, pois essas experiências vão ajudar você a escolher uma área a seguir depois da formatura. A maioria das escolas também mantêm sites, emissoras de rádio e TV universitárias e publicam jornais e revistas, em geral editados pelos alunos dos cursos de comunicação. Tente conseguir uma vaga o mais rápido possível para começar a praticar logo o que você aprendeu. Devido a decisão do STF, os registros profissionais para jornalistas estão suspensos e o Ministério do Trabalho está impedido de liberar o documento até segunda ordem. Se você está se formando, acompanhe o noticiário e informe-se no Ministério do Trabalho a respeito das novas regras.

Mercado de Trabalho

O surgimento de novas tecnologias da informação mudou o mercado para os jornalistas, criando novas possibilidades de trabalho. A convergência de mídias – a possibilidade de uma mesma empresa ou marca manter conteúdos em rádio, internet, celular, televisão e publicações impressas, de forma complementar umas às outras – exige mais preparo dos profissionais e conhecimentos amplos da comunicação. Nas empresas de comunicação, as poucas vagas existentes são muito concorridas. As duas áreas mais promissoras para os jornalistas hoje são a assessoria de imprensa e a comunicação corporativa. Os profissionais encontram boas oportunidades em instituições do Terceiro Setor, em departamentos de comunicação de empresas privadas e órgãos públicos e em agências de comunicação. Nesses casos, o maior número de vagas encontram-se nos grandes centros urbanos, principalmente nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

 

Ocupações relacionadas